1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Quinta, 15 de Novembro de 2018

5° CIRCOVOLANTE - ENCONTRO INTERNACIONAL DE PALHAÇOS - MARIANA/MG.

PDF Imprimir E-mail

Escrito por Rodrigo Robleño Qui, 10 de Outubro de 2013 16:03

Esse acontecimento não poderia ter outro nome: é "CIRCO", porque a alma do circo é o palhaço. É "VOLANTE", porque esses palhaços se atiram no vazio de um espetáculo a começar e são abraçados, seguros pelo público, que, como um bom portô, contribui para que os artistas intrépidos possam realizar sua maior missão: fazer rir.

É, acima de tudo, "ENCONTRO": encontro dos artistas com o público, encontro da cidade de Mariana com ilustres visitantes de várias partes do Brasil e do mundo, encontro do sorriso com a boca,, encontro da memória com o presente, encontro da alegria com o corpo. Encontros emocionantes como, este ano, foi o re-encontro de Biribinha com Bahiaco (parceiro de Dedé Santana), amigos de infância que já não se viam a mais de 50 anos!

Também é "INTERNACIONAL" já que, pese a todas as dificuldades, os palhaços heróis organizadores do evento (Xisto Siman e João Pinheiro) conseguem trazer até a cidade palhaços do outro lado da fronteira. Este ano, os hermanos argentinos "Chacovachi", "Carota" e os palhaços do grupo "La Patera".

É, enfim, "PALHAÇOS", porque para seus realizadores não importa se o palhaço use nariz vermelho ou não, se ele atua dentro do teatro, no circo ou nas ruas, se traz mais a picardia, a bufonaria ou a inocência. Os matizes dessa milenar arte, a palhaçaria, são tantos, que o mais acertado é fazer o que o Circovolante se propõe: vinde, todos! E que o público tenha a possibilidade - e a ventura - de se deleitar com cada um eles.

Assim, este ano, o evento (que nesta edição prestou merecida homenagem ao querido palhaço "Chicrete" (MG), que atuou em grandes circos brasileiros com o famoso número da "aranha") se iniciou, numa quinta-feira, com o "inteligente e sutil humor" do palhaço Viralata (MG) e com a releitura de gags tradicionais pelo Teatro de Anônimo (RJ); seguiu, no dia seguinte, com o simpático e delicioso espetáculo da Família Clou (RJ), os tradicionais Irmãos Simões (MG), a maestria de Biribinha com sua partner Pipoca, e a picardia "callejera" de Chacovachi.

No terceiro dia, já entrando o fim de semana, começamos com uma deliciosa e emocionante conversa com Verônika Tamaoki, lançando seu CD com músicas do Circo Nerino e, mais tarde, a cidade de Mariana foi tomada, ainda mais, por mais palhaços e mais pessoas ansiosas por continuarem a experiência do "riso solto": a alegria contagiante dos palhaços em um cortejo multi-colorido transformou a cidade histórica na capital do riso (ao mesmo tempo, diga-se de passagem, que Rio de Janeiro se fazia, com a mesma competência, capital da palhaçaria feminina com o Festival "Esse Monte de Mulher Palhaça", organizado pelas Marias da Graça).

Voltando à primeira capital mineira, a "Princesa das Gerais", como bem lembrou o Palhaço Picolino, por telefone, durante a apassionada e instrutiva conversa com Verônica Tamaoki, no sábado tivemos a oportunidade de, além desses deliciosos momentos com a querida historiadora, de ver o resultado do "Ateliê de Comicidade", dirigido por Rodrigo Robleño, com os palhaços Furreca e Lamprejo (da própria Mariana), Titetê e Guimba (vindos de Belo Horizonte) e palhaça Clara (de Ouro Preto). O Ateliê é um projeto paralelo ao Festival, oferecido pelo Circovolante, e que já possibilitou a criação de 14 novos números, oferecendo toda a infra-estrutura para que tal aconteça. O Festival, assim, vai além da realização de espetáculos, se perpetua na memória e na produção de saberes e fazeres.

Mas o sábado continuou sorrindo, e a Estandarte Cia. de Teatro, lembou-nos que somos o país do futebol, com seu espetáculo de futebol em perna-de-pau. E então chegou a vez do "Cortejo de Palhaços", talvez o momento mais esperado e, com certeza, o mais emocionante, com a presença dos homenageados Palhaço Alegria, Moisés (O Rei do Pedal) e o grande homenageado Palhaço Chicrete. O Cortejo invadiu a cidade de Mariana e espalhou a alegria em suas ruas, com a presença de mais de 100 palhaços (entre eles os jovens palhaços do Uniclown e a rápida e marcante presença de Ana Fuchs, do Rio Grande do Sul) e sob a batuta e ritmo do Samba do Pé-de-Moleque, do Grupo Circovolante.
Um imprevisto na programação mostrou que a alma de palhaço é feita de generosidade. Chameguinho, que a princípio não participaria do Festival, foi chamado às pressas para cobrir uma das atrações. Sem aparecer no folder oficial, Chameguinho veio sorridente, amigo e fez o que se espera dele e seu "Mariachi Loco" que quiere bailar: uma saraiva de gargalhadas durante todo seu show, para mais de mil pessoas presentes na "Praça do Jardim". Ao palhaço, ao artista e ao ser humano, tiramos nosso chapéu!
E para terminar o sábado de alegria, os argentinos Carota e La Patera completaram a jornada; o primeiro, dominando uma Praça da Sé lotada, com mais de 2 mil pessoas rindo e se emocionando com as habilidades do palhaço e, logo após, o La Patera, levando o riso num espetáculo de rara beleza, com lindas imagens sem palavras realizadas pela dupla de palhaços.

Chegou o domingo, mas, antes de partir, os palhaços e público puderam assistir a Cia. Circunstância (MG), com seu novo espetáculo "De Mala às Artes", um espetáculo que usa a linguagem dos palhaços para contar histórias de Pedro Malasartes. Depois, números do Palhaço Alegria e de Moisés, o Rei do Pedal. Logo após, entrou em cena o eterno Trapalhão Dedé Santana com a companhia de Bahiaco. O Grupo La Mínima (SP) trouxe seu elétrico "Reprise", mantendo o público animado mesmo com a chuva e a longa jornada de palhaços.

O 5° CIRCOVOLANTE - Encontro de palhaços, terminou sua jornada ao ritmo da Banda Osquindô, que apresentou um delicioso espetáculo musical que trazia releituras de conhecidas músicas infantis, num ambiente circense colorido, mágico e contagiante.

Bom, contagiante mesmo foi a emoção vivida nesses quatro dias de festival. Impossível transmitir, por palavras, toda e cada emoção vivida aqui na terra das Gerais. Impossível descrever a alegria do público, as lágrimas da memória.
O único que posso deixar a vocês são duas dicas: vejam as fotos do Festival no site do Circovolante - e não percam a próxima edição do Encontro de Palhaços, em Mariana, no próximo ano. Preparem suas dentaduras, porque o sorriso, em Mariana, tem todas as formas, sons e cores!!!

E, para quem não teve a mesma sorte que eu tive ao participar desse Encontro, abaixo segue um link com fotos, comentários e "otras cositas más"!

http://circovolante.wix.com/encontrodepalhacos

Parabéns, Circovolante - e muito obrigado por manter ao dia a alegria da palhaçaria!!!!

 

Comentários   

 
0 #1 CirconteúdoGuest 04-09-2018 07:53
Hi. I see that you don't update your page too often.
I know that writing articles is time consuming and boring.
But did you know that there is a tool that allows you to create
new articles using existing content (from article directories or other websites from your niche)?
And it does it very well. The new posts are unique and pass the copyscape test.
Search in google and try: miftolo's tools
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Painel de entrevistas

jose_rubens_peq
José Rubens
Thumb_lily
Lily Curcio
thumb_chacovachi
Payaso Chacovachi
Argentina
thumb_muralla
Teatro la Muralla
Equador
thumb_museo
Teatromuseo
Chile





Erminia em entrevista no Jô

(+) entrevista na íntegra

Parceiros

As Marias da Graça (Rio de Janeiro - RJ)
Centro de Memória do Circo (São Paulo - SP)
El Circense (Buenos Aires - Argentina)
Encontro de Bastidor (Brasília - DF)
Escola Nacional de Circo (Rio de Janeiro - RJ)
Instituto de Ecocidadania Juriti (Juazeiro do Norte - CE)
Intrépida Trupe (Rio de Janeiro - RJ)
Panis & Circus (São Paulo - SP)
Teatro de Anônimo (Rio de Janeiro - RJ)