1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Quinta, 24 de Maio de 2018

O Cenário do Teatro no Circo Canarinho

PDF Imprimir E-mail

Escrito por Diocélio Barbosa Qua, 02 de Junho de 2010 11:02

O palco ficava localizado antes do picadeiro, tinha em média 70 cm de altura, na sua frente existia uma cortina, que geralmente se abria na diagonal. No proscênio havia uma pequena abertura, protegida por uma cúpula que por vezes era feito de alumínio, e que trazia escrito a palavra: "Silêncio", principalmente nas encenações de dramas, nesse local ficava o ponto, responsável em informar o texto caso um dos atores esquecesse.

Na cenografia eram utilizados telões pintados ou simplesmente objetos para compor a cena, e às vezes os dois. Havia encenações que a cenografia não se resumia no palco, mas se estendia por quase todo o circo, é o caso do drama da Paixão de Cristo. De um Ato para outro, o maquinista que é chamado de "controlista" pelo Palhaço Pinicolino, fechava e abria às cortinas. No intervalo se tocava uma música e o locutor anunciava o início do próximo Ato, mudava-se o cenário, cuja função era destinada ao contra-regra.

Os adereços, figurinos e os cenários, eram confeccionados pelos próprios circenses, quando não, eles faziam campanhas e recebiam doações ou pegavam emprestados pela vizinhança, instituições, e etc. Como relata o palhaço Pinicolino na entrevista, sobre o antigo Circo-Teatro Canarinho, hoje chamado Circo Canarinho, ele comenta:

 

"... nós conseguíamos em cartórios (a cenografia), há tinha uma pessoa muito competente para conseguir. Agente conseguia coisas de igreja, roupa de padre quando tinha peças que precisava... as roupas eram emprestadas e às vezes até eles doavam pra gente, várias pessoas doou muitas coisas boa pra gente, e outros só faziam emprestar, e tinham muitos dramas mesmo que já tinham os cenários, dramas que tinham freiras, agente tinha as roupas prontinha tudo feitinha no circo mesmo, tinha quatro ou cinco malão lotado de roupa de contra-regra (figurantes), a Paixão de Cristo mesmo era todinha em cetim, todinha em cetim, coisa mais linda do mundo, as roupas dos soldados era uma coisa de você ficar de boca aberta, as roupas dos soldados da gente, aquelas roupas romanas, tudo bonita, bem feita..."

Palhaço Pinicolino

(Texto baseado no depoimento do palhaço Pinicolino do Circo Canarinho - Pernambuco.
Entrevista gravada em 12 de Novembro de 2003, João Pessoa - PB)

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Painel de entrevistas

jose_rubens_peq
José Rubens
Thumb_lily
Lily Curcio
thumb_chacovachi
Payaso Chacovachi
Argentina
thumb_muralla
Teatro la Muralla
Equador
thumb_museo
Teatromuseo
Chile





Erminia em entrevista no Jô

(+) entrevista na íntegra

Parceiros

As Marias da Graça (Rio de Janeiro - RJ)
Centro de Memória do Circo (São Paulo - SP)
El Circense (Buenos Aires - Argentina)
Encontro de Bastidor (Brasília - DF)
Escola Nacional de Circo (Rio de Janeiro - RJ)
Instituto de Ecocidadania Juriti (Juazeiro do Norte - CE)
Intrépida Trupe (Rio de Janeiro - RJ)
Panis & Circus (São Paulo - SP)
Teatro de Anônimo (Rio de Janeiro - RJ)